SIGA-NOS NO FACEBOOK

domingo, 7 de maio de 2017

EM NOTA, AGENTE PENITENCIÁRIA FALA SOBRE ACUSAÇÃO DE DESACATO CONTRA POLICIAIS MILITARES EM ITAPAJÉ





Vi por meio desta, explicar o que de fato aconteceu durante o caso em que fui acusado de desacato contra policiais militares.
A polícia militar, no aparente uso de suas atribuições, se deslocou ao Guanaces Clube na noite do ultimo sábado, 06/05, para intervir em um caso de uma conta de bar que não foi paga.
Eu estava em uma mesa junto com mais algumas pessoas, e o garçom decidiu me responsabilizar por toda a conta do que foi consumido nesta mesa.  Eu disse que pagaria apenas a minha parte e então o tal garçom decidiu chamar a policia.
Chegando lá, sem saber do inteiro teor dos fatos, munido apenas da informações da supostas denúncia, agiu de forma truculenta e excessiva. Tratando a mim,  um colega da área de seguranca pública, de forma agressiva e desrespeitosa.
A equipe se deslocou para uma ocorrência que não é de competência da PM, nem do direito penal, criando uma situação vexatória a um colega da área da segurança pública. Foram trocadas farpas, e os policiais, que eram maioria, ao se sentirem minimizados, e contrariados, usaram da força e da truculência, contra apenas 1 (agente). Fui imobilizado e constrangido diante do público.
Diante das acusações afirmo que: Primeiro - Eu tenho fé pública, assim como eles, sendo assim, eles não tem fundamento, nem prova material para aferir, se uma pessoa está alcoolizada ou não, sem o aparelho de bafômetro.
Segundo - Eu tenho porte de arma. Não posse, e sim o "porte". O Agente de Segurança Penitenciária tem "porte" de arma. Não há razão legal para fazer uma busca de arma no Agente de Segurança penitenciária, haja vista ele te o "porte". O desacato e desrespeito partiram da polícia militar e não do Agente, mas como são a maioria, acaba que o dizem, sair como se verdade fosse.


Aproveito a oportunidade para expressar meu repudio pela atitude dessa equipe policia, nesta ocasião, e reafirmo aqui o meu respeito e admiração pela gloriosa Policia Militar do nosso estado, assim como todas as equipes da Segurança Publica, da qual eu faço parte. E diante dos fatos irei levar ao conhecimento a ouvidoria geral do Estado e a Controladoria Geral do Estado.
Vercencio Aguiar